Login Registrar

Acesse sua conta de usuário

Nome de usuário *
Senha *

Criar uma conta

Todos os campos marcados com asterisco (*) são obrigatórios.
Nome *
Nome de usuário *
Senha *
Verificar senha *
Email *
Verifar email *
Captcha *

Font Size

Profile

Cpanel

Planetas com dois sóis, como em 'Guerra nas Estrelas', podem ser bem comuns

Quando George Lucas instalou Luke Skywalker - protagonista do seu "Guerra nas Estrelas"- em um planeta que orbitava dois sóis, esse tipo de mundo parecia confinado à ficção. Mais de 30 anos depois, cientistas já provaram que planetas assim são reais e, agora, propõem que eles sejam até comuns.

Fonte: Folha de São Paulo

O Telescópio Espacial Kepler, da Nasa, descobriu dois novos planetas que, como o ficcional Tatooine, orbitam duas estrelas. E eles nem ficam em uma galáxia muito distante. Batizados de Kepler-34b e Kepler-35b, ambos estão bem aqui, na nossa Via Láctea, na constelação de Cisne. Os dois são gigantes gasosos (mais ou menos do tamanho de Saturno).

Leia mais...

Universo tem mais cálcio do que se imaginava

O universo pode ter sofrido mais explosões de supernovas que o calculado anteriormente.

Fonte: Terra

Pesquisadores holandeses descobriram que o universo tem mais cálcio do que se imaginava, quase o dobro da quantidade já determinada. De acordo com o estudo, que será divulgado na revista Astronomy and Astrophysics, isso pode significar que o universo teve mais explosão de supernovas - estrelas de muita massa - do que o calculado anteriormente. Entretanto, o valor exato da quantidade de cálcio encontrada não foi divulgado.

Usando um telescópio de raios X XMM-Newton, os pesquisadores conseguiram estipular a quantidade de oxigênio, neônio, silício, enxofre, argônio, cálcio, ferro e níquel em 22 aglomerados de galáxias. A equipe liderada por Jelle de Plaa comparou os resultados com os de modelos teóricos e descobriu que a quantidade de cálcio era uma vez e meia a esperada. Isso pode significar que a taxa de supernovas é maior do que a prevista, ou que o mecanismo de produção de elementos químicos em explosões como essa não está correto.

Elementos como ferro, oxigênio, cálcio e silício se espalham pelo espaço quando as supernovas explodem. Esse material constitui elementos usados para formar novas estrelas, planetas e vida.

 

O que diz O Livro de Urântia:

41:6.2 O cálcio é, de fato, o elemento principal que permeia a matéria do espaço em todo o Orvônton. Todo o nosso superuniverso está cheio de pedra altamente pulverizada. E essa pedra é literalmente a matéria básica de construção para os planetas e esferas do espaço. A nuvem cósmica, o grande manto espacial, consiste, na sua maior parte, de átomos modificados de cálcio. O átomo dessa pedra é um dos elementos que mais prevalecem e de maior persistência.

Assine Nossa Newsletter

Mantenha-se atualizado no acontece por aqui, assinando a nossa newsletter. Digite seu email aqui:

Ou conecte-se através das redes sociais:

   

ELUB Twitter